Ser numerária auxiliar

From Opus Dei info
Jump to navigationJump to search

Mariano,

Sempre nutri um apreço pelas nax (numerárias auxiliares) de quem fui diretora e com quem convivi. A obra e as diretoras podem ter muitos defeitos, manipular pessoas... As auxiliares são muito especiais, a delicadeza com que vivem tudo o que lhes é pedido enobrece a qualquer um.

Em todos os meus depoimentos vejo uma linha: escrevi e descrevi exatamente o que vivi na minha pele. Não escrevi sobre as nax, porque as quero muitíssimo, talvez como meus filhos (você pense nos seus).

Fiquei muito pensativa toda esta tarde depois de ter mandado um email comentando o depoimento de uma mãe desesperada. O opuslivre sempre esboçou a verdade [mesmo que ironicamente, ou salgando-a]. Na pele de mãe desesperada como JC, pensa que a filha dorme em tábua, que come lixo, que não é bem tratada, querida! Não é nada disso! <>

Entendo que todos nós deixamos o couro e mais que isso lá, que vivemos as conseqüências daqueles anos [como não eu, e como], mas isso não justifica alarmar e induzir pessoas boas a inquietação enganosa. As nax trabalham muito sim, comem bem sim, se a sobra é strogonoff, jantarão novamente strogonoff, como seria na minha casa e provavelmente na sua.

Esbocei algumas idéias VERDADEIRAS, não melei com mimos, não azedei com maldade, fiz como noutras vezes o relato do que vi e vivi.

Gostaria de esclarecer sobre o como é a vida nas administrações e abrir o máximo na realidade, esta caixa preta que não é como pensam, é vida normal sim.

Que o opuslivre continue sendo lugar de esclarecimento, agora e sempre.

Vera

Para ser NAX

Para ser numerário no opus dei é necessário boa formação intelectual, ser inteligente, para ser numerária auxiliar se requer sim, qualidades humanas que nem todas as pessoas são capazes de viver.

Como ver a numerária auxiliar depois de ter convivido mais de doze anos com elas? Em primeiro lugar penso nas que vieram para o Brasil no início da década de 60: duas portuguesas e uma espanhola. Quem são e como estão? Com a idade que têm, já estão aposentadas. A. já a conheci fazendo trabalhos leves, cuidando de arranjos florais e enfeitando a Aroeira. C. muito forte e delicada, M.A. deu sua vida aos que passaram pelo Sumaré, gastou-se na cozinha.

Se você me pergunta como são capazes de deixar a família e se dedicarem aos trabalhos domésticos, penso no que vi e vivi ao lado delas.

No meu primeiro contato com a ELCA, no início de 1976 na meditação do domingo assistiam as amigas das numerárias auxiliares, suas iguais, outras empregadas domésticas. Na escola ELCA se ministrava aulas de culinária para empregadas domésticas, com objetivo de conhecer outras empregadas e profissionalizá-las sim. Especialmente no Brasil e pela nossa cultura, os trabalhos mais simples sempre foram feitos por pessoas de classes sociais menos favorecidas, coisa que não acontece na Europa ou nos Estados Unidos, por exemplo. No opus dei se faz apostolado com iguais, com colegas de trabalho e portanto, o apostolado das numerárias auxiliares era desenvolvido com empregadas com quem faziam amizade, muitas vezes nos pouquíssimos momentos que saíam para uma compra no mercado...

Em 1976 as nax foram morar no seu próprio centro, voltando no final do dia como todos, mas a experiência determinou que numa cidade com as características de São Paulo, era inviável buscá-las e levá-las pela manhã de Kombi aos seus respectivos locais de trabalho. As nax voltaram a viver nas administrações das residências onde trabalhavam.

Para apitar numerárias auxiliares nas administrações ordinárias surgiram experiências de outros países, que são os “Internatos” que vieram a ser Escolas Hoteleiras. Sim, algumas apitam como numerárias auxiliares sem nunca antes terem sido empregadas domésticas e têm já o segundo grau. Se introduziu uma mudança, que foi paulatina, no nível cultural e escolar das que apitam como numerárias auxiliares. Cheguei a ter uma na administração com segundo grau e em nada se diferenciava das que eram de origem mais simples.

Para apitar uma numerária auxiliar nada de diferente ou tudo diferente: não havia chamaris de um clube misterioso, por exemplo numa Casa do Moinho antes de Escola Hoteleira. As moças que vinham na sua maioria da roça, optavam por trabalho remunerado e aprendiam a profissão de empregada doméstica. Nunca se lhes propunha algo que não fosse: trabalho remunerado e a profissão doméstica. A vocação a tinha quem podia, e nem todas podiam. No tempo que estive na Casa do Moinho cuidávamos muito das moças, nunca pensei que fosse tática, o fiz com espírito fraternos, lhes tive verdadeiro carinho. Nunca me senti rebaixada por lhes acompanhar no dia-a-dia e em tudo o que lhes fizesse falta.

Nas dependências das casas pequenas, estão o oratório onde podem assistir à missa e cumprir o plano de vida de piedade, uma sala de estar com sofá e poltronas onde fazem as tertúlias (a depois do almoço, por volta das 14,30 horas com a administradora e a da noite), o escritório onde trabalha a administradora no seu planejamento mensal etc., lavanderia, área descoberta (quintal) quando possível, quarto de passar roupa com enorme armário onde se colocam a roupa passada de cada com as iniciais da pessoa, a cozinha, a copa onde as numerárias auxiliares fazem suas refeições. A administradora nas casas pequenas almoçam na sala de jantar da residência antes de servirem o almoço.

Nas administrações ordinárias, onde moram numerárias, tanto as numerárias como numerárias auxiliares dispõem de sala de jantar específicas. O ambiente entre as numerárias auxiliares é muito simples, como elas o são. Nas refeições delas uma numerária está presente não para vigiar, mas para que tenham atenção que esperam das numerárias.

As numerárias que moram nas administrações ordinárias sabem de antemão, que estão na administração para servir as auxiliares, ficam responsáveis por um setor determinado, nunca por mandar, mas para servi-las e tentar resolver problemas que possam aparecer.

Mesmo com os apertos de tempo e muito trabalho na ausência de outras que estejam fora em curso anual, se está atento para que se durma no mínimo sete horas e meia.

Para assistirem ao círculo breve nas administrações ordinárias a numerária encarregada é quem se desloca até a administração, e ordinariamente são atendidas por essa numerária no mesmo dia.

VR