O dia das mães da mãe de um numerário

From Opus Dei info
Jump to navigationJump to search
Prezados leitores, a carta abaixo nos foi enviada pela mãe de um numerário no Dia das Mães, depois que ela leu um artigo de Sueli Caramello Uliano:

Cara Sueli

você é mãe?

Se não o for, é - ou foi - com certeza filha. E sabe o que envolve um carinho, uma palavra que seja, de atenção, a uma mãe? não digo nem no dia a dia, mas no Dia das Mães pelo menos.

Pois é. Se você entende isso ( e pelo seu jeito de escrever e pelo cargo que ocupa na Puc, você COM CERTEZA entende), pode me explicar como um "santo" do pau oco, como o tal do Escrivá pode querer levar seus asseclas à santidade, se a simples caridade terrena, aos mais próximos, como a mãe , por exemplo, não é cumprida ?

Hoje é dia das mães. Até agora (às 18 horas...) meu filho, raptado pelas garras do Opus Dei, não me ligou. Já está neste bruxuleante mar de indignidades há 5 anos. Ainda não me conformei, nem vou me conformar nunca em ser apenas a mãe biológica dele. Será que hoje, pelo menos hoje, ele não poderia passar uma ou duas horinhas comigo ??? Ou será que os PICs, POCs, Apostolado de São Rafael, rosários sem fim, autoflagelações, etc, etc, são mais importantes que um afago, um beijo, um carinho naquela que o guardou, resguardou e amou não só pelos longos 9 meses de espera, mas pelos últimos 28 anos também? (desculpe o engano, foram só 23, pois os últimos 5 anos ele passou a ter OUTRA FAMÌLIA, rezando mais pela coitada da tal "Tia Carmem" e pela infeliz mãe do Escrivá - por que infeliz ? Se eu tivesse um filho que assaltasse lares, roubando filhos, destruindo famílias e lares, causando a ruptura de famílias católicas com a igreja, destruindo a confiança na qual criamos nossos filhos, transformando-nos em "famílias biológicas", fazendo os filhos acharem natural ignorar a dor incrível que os pais sentem, por tê-los apunhalado pelas costas, envolvendo-se em silêncio, suspense e segredo, orquestrando "vocações" falsas ... UFA ! e tantas coisas mais... nossa mãe! antes ela tivesse abortado aquele cuja mente conseguiu criar "pérolas" para o "caminho" destes membros da tropa tão inacreditáveis e horrorosas, que é um domínio perfeito para a psicanálise.

Bem, professora, já que você deve ser tão culta e entendida, por favor me explique: por que meu filho, Guto Silberstein, como disse antes, roubado de nós aqui em São Paulo e "desterrado" para o Rio — mudança urgente, pois o tal centrinho cultural de lá, aquele da rua do bispo, precisava de alguém que "arrumasse a biblioteca"! : aliás, fizeram a escolha muito bem, pois além de gostar de ler bastante, escolheram um formado na GV, de SP, que fala apenas 4 línguas fluentemente.

É, professora, me explique isso, porque realmente minha pobre mente de "apenas mãe" não consegue entender.

Grata,

Betty Silberstein

(não preciso me ocultar atrás de algum pseudônimo, como tudo o que a opus faz. Meu nome é esse mesmo, viu? E se quiser falar comigo pessoalmente, estou às ordens; por favor só não traga aquele janota do Caloca e o falso do Padre Ancona)